Você está aqui
Home > Notícias > Enesul e Epeco abordaram a política econômica e a profissão do economista em Curitiba

Enesul e Epeco abordaram a política econômica e a profissão do economista em Curitiba

O CORECONPR em parceria com os CORECON’s de Santa Catarina e Rio Grande do Sul promoveu a 19ª edição do Enesul – Encontro dos Economistas da Região Sul, o 3º EPECO – Encontro Paranaense de Economistas e Estudantes de Economia e o 4º Torneio Paranaense de Economia na Universidade Positivo, entre os dias 07 e 09 de agosto. Em pauta, estiveram em debate assuntos como a profissão do economista e temas pertinentes a política econômica regional e nacional.

A abertura do Enesul contou com a palestra Magna do doutor em economia, colunista da Folha de São Paulo e pesquisador da IBRE-FGV, Samuel Pêssoa. Ele discorreu sobre o tema “O Brasil é capaz de dobrar a renda per capita em menos de quinze anos?”. Segundo ele, para dobrar a renda per capita neste período, a economia teria que crescer nos próximos anos a taxa média de 5,8% ao ano. Um grande desafio, já que como ele cita, no governo atual o crescimento médio tem fechado em 1,7%. Para alcançar tal desafio, Pêssoa diz que será necessário elevar a taxa de investimento dos atuais 18% do PIB para em torno de 25% e a inflação tem que estar na faixa de 4,5%. Ele ressaltou também, que a política voltada para o estímulo ao consumo não surte mais efeito, pois não se mantém. Por isso, sugere que a política seja voltada para o investimento e inovação.

O segundo dia do evento, iniciou com discussão sobre a Profissão do Economista. Os debatedores apresentaram sugestões para inovar a grade curricular para tornar os cursos mais atrativos, além de enaltecer a importância deste profissional. O presidente do COFECON Paulo Dantas falou sobre o andamento do Projeto de Lei do Senado 658/07, que visa atualizar a legislação profissional do economista. Também participaram deste debate, o economista e reitor da Universidade Positivo, José Pio Martins, o economista e diretor da Faculdades Santa Cruz, Hugo Meza Pinto e a moderadora, a economista e vice-presidente do CORECONPR, Maria de Fátima Miranda.

A tarde, foram realizados os Painéis I e II do Enesul. No painel I, o tema em discussão foi sobre “2015, o ano do Ajuste? O que é preciso para a economia voltar a crescer?”. Conduzido pelo coordenador do curso de economia da PUCPR e conselheiro do CORECONPR, Carlos Magno Bittencourt, o painel levantou a discussão sobre o futuro da economia brasileira e os desafios pós Copa do Mundo e período de eleições. Segundo a projeção, a economia passará por ajustes, será necessário adotar uma nova política econômica. A expectativa é de modesto crescimento, com alta do PIB em 2%. A recuperação, segundo os economistas deve iniciar no segundo semestre. E a inflação deve atingir o teto da meta, 6,5%.

Participaram da discussão o presidente do Conselho Regional de Economia do Rio Grande do Sul (Corecon-RS), Leandro Antonio de Lemos, o economista e professor da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Adriano de Amarante e o economista e professor da Universidade Federal do Paraná, Marcelo Curado.

No Painel II – Qual o papel da Região Sul dentro deste processo e diante da queda no crescimento da China?, que teve como moderador o coordenador do curso de economia da Universidade Positivo e conselheiro do CORECONPR, Lucas Dezordi, o economistas analisaram a influência dessa queda de crescimento da China. Segundo eles, não deve surtir consequências para as exportações brasileiras neste mercado. Um dos pontos abordados foi o perfil dos produtos que são enviados para o mercado externo, que são configurados como de média e baixa tecnologia. Eles destacaram ainda que o potencial do país é muito grande, sendo necessário abrir mais para o mercado externo e firmar parceria com novos países, pois o avanço foi muito pequeno nos últimos anos, tendo como principais compradores a China e a Argentina. Ainda, foi destacado que o Brasil precisa investir mais em inovação e tecnologia, para industrializar em maior escala os seus produtos.

Este painel teve como debatedores os economista Alfredo Meneghetti Neto, Conselheiro do CORECON-RS, o economista e professor da Universidade Estadual de Maringá, Jaime Graciano Trintin e o economista de Santa Catarina, Silvio Antonio Ferraz Cario.

Minicursos

O Enesul encerrou com os minicursos promovidos para elevar o conhecimento dos economistas que desejam atuar em áreas distintas, como o curso de Valuation, voltado para avaliação de empresas, que foi ministrado pelo economista e conselheiro do CORECONPR, Maurício Cadenas. No cronograma ainda estiveram os cursos de Ferramentas Digitais do IBGE, realizado por Hélio Higa, o Curso de Casos Práticos em Perícia Econômico-Financeira, com as economistas Elhanã Marcelino Farias e Vanya Marcon, curso de Casos Polêmicos na Aplicação de Índices de Correção Monetária e em Planos Econômicos, com o economista Juarez Varollo Pont e o curso de Análise Setorial Aplicada a Processos Administrativos e Judiciais, com o Cid Cordeiro.

epeco1

epeco2

epeco3

epeco4

Deixe uma resposta

Top